terça-feira, 10 de maio de 2011

you = me

Sou dessas que acha a diversidade mais interessante do que a igualdade, mas não desprezo o fato de que a igualdade deve ser mais importante do que a diversidade. É confuso, sei que é. Voltando ao x da questão, esse post é só uma indignação sobre um episódio que ocorreu na Festa Rock da Moradia Estudantil da minha faculdade (UNESP Marília)
O episódio: Eder, estudante do 2º ano de Filosofia e homossexual, pediu um isqueiro para um grupo de meninos que estava na festa. O grupo X, cujo os integrantes eu desconheço, reagiu a esse pedido com humilhações, descriminando o Eder por sua opção sexual.
O resultado: Briga, como era de se esperar, e um alvoroço dentro da faculdade no dia seguinte causado pelo choque e indignação.
Quando descobri o que tinha acontecido, me choquei. Não porque eu vivia em um mundo de fantasias e achava que preconceito era uma realidade distante porque eu nunca vivi em um mundo assim; me choquei porque no fim das contas, o Eder se sentiu mal pela situação causada pelos idiotas do grupo X. Me choquei porque nas várias situações em que presenciei o preconceito sendo praticado eu percebi que as pessoas que estavam sendo julgadas são as que se sentem mal e os agressores são incapazes de sentir uma gota de culpa pelo estrago que causam. E me choquei porque, em pleno século XXI, existem pessoas que acreditam que não somos iguais.
Sim, somos iguais mesmo tendo opiniões diferentes e isso deve ser respeitado, quer você concorde ou não com a opinião oposta à sua. E enquanto isso não entrar na cabeça das pessoas eu continuarei aqui, escrevendo minhas indignações e, principalmente, lutando em favor dos oprimidos e julgados "desiguais".

@annaprmaia

Nenhum comentário:

Postar um comentário